À deriva

20/09/2011 § Deixe um comentário

Sol de outono

     À deriva é a luz no caminho, até então frio e escuro, do diretor e roteirista Heitor Dhalia. O cineasta tinha em sua filmografia duas obras marcadas pela ironia, pelo sarcasmo agudo, fotografia obscura e enredos sempre enfatizando o lado podre do ser humano. Para quem não se lembra, seu primeiro longa de 2004 foi Nina, uma versão paulista contemporânea de Crime e castigo de Dostoiévski e o segundo foi O cheiro do ralo, baseado no romance homônimo do quadrinista Lourenço Mutarelli, que dispensa maiores explicações, já que o próprio título é bastante sugestivo. O seu terceiro e mais recente longa, porém é solar.

continue lendo

O cheiro do ralo

16/05/2011 § 1 comentário

O lixo é o troco

     O primeiro romance do quadrinista Lourenço Mutarelli, que originou o filme homônimo em questão, é um soco no estômago. Indigesto como o sanduíche que o protagonista comia diariamente em uma lanchonete de quinta, desencadeando o processo que culminaria no insuportável cheiro exalado por seu ralo, o livro constitui uma narrativa, como diz Valêncio Xavier no prefácio, neorrealista citadina. O diretor Heitor Dhalia acertou ao optar por uma versão um pouco mais branda (porém não menos fiel ao livro), pois solidão, poder e perversão já são por si só temas pesados. O filme abriu mais espaço para o humor irônico e sarcástico, o que o tornou um pouco mais palatável.

continue lendo

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com heitor dhalia em Cinédoque.