Apostas para o Festival do Rio 2014

25/09/2014 § Deixe um comentário

Top 20 do Cinédoque para o Festival do Rio 2014 saindo do forno! Aqui estão os filmes que acredito serem os mais interessantes analisando as sinopses (todas as 350 diga-se de passagem) e trailers, e tentando privilegiar todas as mostras. Aproveitem e boa sessão!

 

1 – BOYHOOD – DA INFÂNCIA À JUVENTUDE (mostra Panorama do Cinema Mundial)

É um dos filmes mais aguardados do Festival, o que significa que você vai chegar na central de venda de ingressos no dia que abrirem as vendas, enfrentar uma fila monstra e mesmo assim as sessões estarão esgotadas. São vários fatores que podem justificar essa expectativa mesmo com a certeza de lançamento no circuito em breve: o padrão de qualidade do Richard Linklater (Waking Life, Escola de Rock, trilogia Antes do Amanhecer…), o repeteco da dobradinha de sucesso com Ethan Hawke e o Urso de Berlim de melhor direção. Mas o que está deixando todos curiosos meeesmo é a proposta inédita do cineasta, que filmou o ator Ellar Coltrane de 2002 a 2013, acompanhando seu crescimento e consequentemente o do seu personagem na história.

continue lendo

Anúncios

Começou o Festival do Rio 2012!

01/10/2012 § Deixe um comentário

Chegou a época mais esperada do ano para os cinéfilos, os 15 dias de imersão no que está rolando de mais quente no cinema mundial. De 27 de setembro a 11 de outubro, o FESTIVAL DO RIO toma a cidade com 400 filmes de diversas nacionalidades, temas e estilos.

A novidade este ano é que não precisaremos mais ficar indo na central de ingressos no Estação Sesc para conferir se aquele filme tão esperado já foi liberado. Finalmente a organização do Festival se associou ao Ingresso.com e agora podemos fazer tudo no conforto do lar.

Em breve o Cinédoque divulgará a sua lista de apostas para esse ano. Por enquanto seguem dicas para aproveitar da melhor forma o evento.

Site oficial: 2012.festivaldorio.com.br

Baixe o PDF da programação: e37b86

Para comprar os ingressos: Indice_FestivalRJ.asp?T_PARCERIA=festivalrj&T_IDCIDADE=00000002&utm_source=Festivalrj&utm_medium=Site&utm_campaign=Festivalrj

Festival do Rio 2011 – We need to talk about Kevin #pocket

17/01/2012 § Deixe um comentário

     Certamente um dos filmes mais aguardados do Festival e mais comentados no pós-Festival. O longa da cineasta Lynne Ramsay é baseado no best seller homônimo da escritora Lionel Shriver, que mostra da perspectiva da mãe, um assassino adolescente que realiza um massacre em sua escola. Já entendeu o porquê do buchicho, certo? Tema polêmico e abordagem idem. continue lendo

Festival do Rio 2011 – Inquietos #pocket

06/11/2011 § Deixe um comentário

     Inquietos nos lembra que antes de dirigir Paranoid Park, Elefante e Last Days, Gus Van Sant dirigiu Gênio indomável e Encontrando Forrester. Diferente de suas últimas produções, Restless (no original) é um ótimo filme para Sessão da Tarde. Que fique claro aqui que nada tenho contra a programação dessa faixa, pelo contrário, Goonies, Karatê Kid e Lagoa azul são clássicos da infância de toda uma geração nascida no final dos anos 70 até meados dos 80, justamente porque passavam repetidamente no programa da TV Globo. Desde Milk, Gus deixou o experimentalismo um pouco de lado, apesar de ter mantido em sua obra atual a temática envolvendo os conflitos do universo adolescente. Fora isso é muita fofura e clichês mil, que vão do primeiro beijo ao amigo imaginário. A cena do casalzinho jovem deitado no asfalto sobre o contorno de seus corpos marcados com giz, sugerindo uma cena de crime é instantaneamente memorável assim como Ferris dançando Twist and shout na parada de rua está para Curtindo a vida adoidado. O tema mórbido não será empecilho para as crianças, pois é tratado com doçura. O casal formado pela paciente com câncer de Mia Wasikowska e pelo menino com atração por enterros de Henry Hopper é um mimo. A trilha sonora é gostosa e o figurino é coisa fina de brechó. Em alguns momentos se ri, em outros os olhos marejam. Mais uns 3 ou 4 anos já vai estar passando depois do Vale a Pena Ver de Novo, pode esperar.

Festival do Rio 2011 – Querida vou comprar cigarros e já volto #pocket

04/11/2011 § 1 comentário

     Quem como eu foi para o cinema esperando o brilhantismo de O homem ao lado, longa dos mesmos diretores deste Querida vou comprar cigarros e já volto, talvez se decepcione um pouco. Não que o filme não seja bom, pelo contrário, mas é outro propósito, outra pegada, enfim, outro filme. É como a síndrome do segundo álbum no universo da música, em que o primeiro é tão incrível que dificilmente o próximo conseguirá manter ou ultrapassar o seu sucesso, pois os fãs no fundo esperam mais do mesmo e quando se deparam com outra sonoridade e outra temática, a expectativa despenca. É necessário um tempo para perceber a genialidade desse novo trabalho.

continue lendo

Festival do Rio 2011 – Sleeping Beauty #pocket

28/10/2011 § Deixe um comentário

     Esse filme está aí para mostrar como uma sinopse perdida na vasta programação do Festival do Rio pode te enganar. Dizia: “Lucy é uma estudante universitária que precisa trabalhar para financiar seus estudos. Respondendo a um anúncio de jornal, ela aceita um trabalho para servir jantares vestindo apenas lingerie. Mas essa é só a primeira fase, pois logo lhe oferecem o emprego de bela adormecida, em que ela deve ser sedada para servir às fantasias eróticas de homens mais velhos. Ela não sabe o que eles fazem com ela nas horas em que fica desacordada, mas sua curiosidade vai levá-la a esconder uma câmera no quarto em que dorme. Selecionado para a competição do Festival de Cannes 2011.

continue lendo

Festival do Rio 2011 – Talihina Sky: A história do Kings of Leon #pocket

27/10/2011 § Deixe um comentário

     Inevitavelmente esse é o tipo de documentário feito para fãs da banda, afinal os Kings of Leon não são famosos a ponto de levar curiosos ao cinema, como acontece com personalidades como o Ray Charles, para citar outro doc musical presente no Festival. Do ponto de vista do Cinema, o filme possui falhas. O roteiro confuso e a mistura de linguagens dificultam a compreensão da onde se quer chegar com ele. Apesar disso, há um lado interessante que é conhecer as origens dos irmão (+ primo) que formam a banda. Em Talihina, Oklahoma, acontece um encontro anual da família Followill, que o diretor Stephen C. Mitchell acompanha. Nem parece um documentário, pensamos estar assistindo a uma ficção passada no sul dos EUA. Os parentes do quarteto são personagens natos de filmes dos irmãos Coen com aquele sotaque caipira e sabedoria ôrganica, quase caricatos. Destaque especial para o Tio Cleo, uma figura inesquecível, que faleceu no início desse ano e é responsável pelos melhores momentos do longa. A avó também dá um show à parte com sua personalidade forte.

     O contraste da cultura glamourosa do rockstar com a cultura simples e religiosa do interior é a pólvora que detona o filme. Essas duas influências em suas vidas, principalmente no vocalista Caleb, geram a grande discussão que permeia o doc, polarizada por distintos pontos de vista. É um paradoxo vivo quatro meninos criados em templos, cantando músicas gospel e sendo preparados para se tornarem pastores, resolverem ter uma banda de rock and roll. E eles sentem essa realidade contraditória na pele e nem sempre é fácil lidar com ela. Enfim, é o Kings of Leon, quem curte vai gostar do filme.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com festival em Cinédoque.