Onde vivem os monstros

25/11/2014 § Deixe um comentário

Todo menino é um rei

     Onde vivem os monstros, novo filme do diretor Spike Jonze, é baseado no livro infantil homônimo lançado em 1963 nos EUA, que se tornou rapidamente um dos mais vendidos do gênero. A obra do escritor Maurice Sendak é basicamente composta por ilustrações, possuindo apenas nove sentenças escritas, o que fez dessa adaptação para a telona um desafio. continue lendo

À deriva

20/09/2011 § Deixe um comentário

Sol de outono

     À deriva é a luz no caminho, até então frio e escuro, do diretor e roteirista Heitor Dhalia. O cineasta tinha em sua filmografia duas obras marcadas pela ironia, pelo sarcasmo agudo, fotografia obscura e enredos sempre enfatizando o lado podre do ser humano. Para quem não se lembra, seu primeiro longa de 2004 foi Nina, uma versão paulista contemporânea de Crime e castigo de Dostoiévski e o segundo foi O cheiro do ralo, baseado no romance homônimo do quadrinista Lourenço Mutarelli, que dispensa maiores explicações, já que o próprio título é bastante sugestivo. O seu terceiro e mais recente longa, porém é solar.

continue lendo

Apenas o fim

19/09/2011 § Deixe um comentário

Apenas a premissa

     Apenas o fim, primeiro longa-metragem feito por alunos do curso de cinema da PUC, que teve sua pré-estréia no Festival do Rio do ano passado agraciada com o prêmio do público e uma menção honrosa do júri, é uma premissa. Tom (Gregório Duvivier) é surpreendido por sua namorada (Érika Mader) quando ela diz que está terminando o namoro porque vai fugir para um lugar não especificado. Os dois então resolvem andar pela faculdade enquanto conversam, relembram momentos e discutem o relacionamento.

continue lendo

Simonal – Ninguém sabe o duro que dei

20/06/2011 § Deixe um comentário

Quando a pilantragem ganha duplo sentido

     Simonal – Ninguém sabe o duro que dei é antes de qualquer discussão moral e ética que coloque em xeque a índole do cantor, um documentário de extrema importância para a cultura brasileira, pois recupera a memória esvaziada de um artista genial. Wilson Simonal foi apagado da história da música brasileira e permaneceu desconhecido por muitas gerações futuras a sua até o lançamento desse filme, que mostra ao espectador não só quem ele foi, mas também investiga o caso deflagrador da série de suspeitas levantadas contra a sua pessoa, que culminou no seu afastamento forçoso da cena musical da época.

continue lendo

Sinédoque, Nova York

19/06/2011 § 1 comentário


Sinédoque, Charlie Kaufman

     Essa resenha não é como as outras. Ela tem por dever ser diferente, pois o seu objeto de análise se destaca dos demais justamente pelo seu olhar diferenciado. Esqueça as fórmulas, os clichês e os temas comuns a 99% das tramas cinematográficas, pois aqui falamos da mais pura originalidade. Trata-se do roteirista e neste caso, também diretor Charlie Kaufman, mais conhecido como autor dos filmes Quero ser John Malkovich, Adaptação e Brilho eterno de uma mente sem lembranças.

continue lendo

Quem quer ser um milionário

16/06/2011 § Deixe um comentário

O exótico terceiro mundo de Danny Boyle

      Quem quer ser um milionário, filme inglês com coprodução indiana vencedor do Oscar de melhor filme desse ano, narra a vida do protagonista Jamal, que se inscreve em um programa tipo Show do Milhão com o objetivo de encontrar sua paixão perdida. A partir daí ele enfrenta a miséria e todos os obstáculos possíveis e impossíveis que cruzam o caminho de um morador de Juhu, a maior favela de Mumbai e uma das várias existentes na Índia.

continue lendo

Foi apenas um sonho

15/06/2011 § Deixe um comentário

O vazio sem esperança

     Sabe aqueles dias em que acordamos e percebemos de repente, como em um estalo, que nos transformamos em tudo aquilo que mais odiamos? Nos sentimos hipócritas e traidores de nós mesmos. E paramos para pensar como foi que chegamos ali. April Wheeler (Kate Winslet) levou sete anos para ter seu momento de epifania e acordar. Ela, uma jovem atriz cheia de ideais e sonhos, se viu em uma vida no subúrbio americano, cuidando dos filhos e da casa enquanto o marido, que até certo ponto compactuava das mesmas idéias, trabalhava fora. O que no início parecia um conto de fadas virou um pesadelo.

continue lendo

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com crítica em Cinédoque.