1 ano de vida do Cinédoque!

01/05/2012 § Deixe um comentário

     Hoje o Cinédoque faz 1 ano de resenhas e comentários cinematográficos e assim como no aniversário do Guanabara, quem ganha é você! Preparei uma listinha dos 10 filmes mais esperados para o segundo semestre de 2012 para você já se programar.

continue lendo

Anúncios

Mostra John Waters na Caixa Cultural

03/02/2012 § Deixe um comentário

     2012 começou bem em termos de mostras de cinema no Rio. O Instituto Moreira Salles apresenta desde dia 13 de janeiro, a mostra Clint Eastwood – Clássico e implacável sobre o ator e diretor veterano. O maior e mais durão cowboy da história do cinema norte-americano terá sua filmografia revisitada (tanto como ator, quanto diretor) até dia 16 de fevereiro. Corre que ainda dá tempo de assistir a alguns filmes!

     E hoje estreou a mostra John Waters – O papa do trash na Caixa Cultural, que vai até dia 16 de fevereiro também. Para quem gosta de filmes pouco convencionais, essa mostra é essencial. John Waters foi um dos precursores do cinema underground nos anos 70, influenciando toda uma geração posterior com seus midnight movies (produções baratas de estética kitsch, despreocupadas com a moral e os bons costumes). Ali, em cinemas de bairros menos nobres de Nova York, começou a se configurar um movimento de contracultura. Gente como Jim Jarmush, Pedro Almodóvar e Hal Hartley beberam assumidamente nessa fonte. É uma chance quase única de ver a filmografia completa do cineasta, que justamente por ser um outsider não é tão acessível quanto gostaríamos.

Confira a programação de ambas as mostras nos links abaixo.

Mostra John Waters – O papa do trash

Mostra Clint Eastwood – Clássico e implacável

Matthew Broderick relembra Ferris Bueller em novo comercial da Honda

01/02/2012 § Deixe um comentário

     Este é um blog sobre Cinema, mas vou abrir uma exceção para a publicidade dessa vez, devido ao novo comercial do carro modelo CR-V da Honda (eles merecem a propaganda). Lançada essa semana, a campanha fez uma releitura do filme clássico dos anos 80, Curtindo a vida adoidado. E não houve economia na produção! Para protagonizar o filme foi chamado ninguém mais, ninguém menos que o próprio Matthew Broderick, intérprete do personagem Ferris Bueller no original. No comercial, ele interpreta a si mesmo em uma espécie de Matthew`s day off, passando por situações semelhantes a de Ferris. Ele não chega a cantar em uma parada de verdade, é tudo mais simples e adaptado aos dias de hoje, mas as referência estão lá. Substituindo a cobiçada Ferrari do filme de 86, está o carro da Honda, é claro. A direção é de Todd Phillips de Se beber, não case, o que reforça o caráter mais cinema e menos publicidade do comercial. A idéia é mesmo de tirar o chapéu, pois foi reaproveitado um case antigo e eficiente de product placement, porém da forma inversa, agora o produto que se quer vender não está dentro do conteúdo audiovisual e sim, o conteúdo foi parar dentro de um comercial, além de atingir em cheio o público-alvo, aqueles nascidos por volta de 1986, que hojem estão na faixa de 25-35.

      Confiram aqui a versão estendida para web:

Festival do Rio 2011 – We need to talk about Kevin #pocket

17/01/2012 § Deixe um comentário

     Certamente um dos filmes mais aguardados do Festival e mais comentados no pós-Festival. O longa da cineasta Lynne Ramsay é baseado no best seller homônimo da escritora Lionel Shriver, que mostra da perspectiva da mãe, um assassino adolescente que realiza um massacre em sua escola. Já entendeu o porquê do buchicho, certo? Tema polêmico e abordagem idem. continue lendo

Improv Everywhere – O filme

14/12/2011 § Deixe um comentário

     Já que não dá para ajudar financeiramente, pelo menos estou divulgando, né. A iniciativa e originalidade do grupo performático merecem esse apoio. Ficamos aguardando o filme final.

Woody Allen: A Documentary

28/11/2011 § Deixe um comentário

     Na onda de Scorsese de fazer documentários de 3h e meia de duração, vide George Harrison: Living in the material world, o filmmaker Robert Weide acompanhou o cineasta nova-iorquino queridinho por 1 ano e meio para produzir sua cinebiografia final. Feito para integrar a série PBS American Masters da TV pública norte-americana PBS com o objetivo de ser exibida em 3 partes e já lançado em DVD. Pouco provável que passe no cinema aqui.

     O DVD está sendo vendido no Site oficial. Ou vamos aguardar que uma boa alma disponibilize gratuitamente.

Festival do Rio 2011 – Inquietos #pocket

06/11/2011 § Deixe um comentário

     Inquietos nos lembra que antes de dirigir Paranoid Park, Elefante e Last Days, Gus Van Sant dirigiu Gênio indomável e Encontrando Forrester. Diferente de suas últimas produções, Restless (no original) é um ótimo filme para Sessão da Tarde. Que fique claro aqui que nada tenho contra a programação dessa faixa, pelo contrário, Goonies, Karatê Kid e Lagoa azul são clássicos da infância de toda uma geração nascida no final dos anos 70 até meados dos 80, justamente porque passavam repetidamente no programa da TV Globo. Desde Milk, Gus deixou o experimentalismo um pouco de lado, apesar de ter mantido em sua obra atual a temática envolvendo os conflitos do universo adolescente. Fora isso é muita fofura e clichês mil, que vão do primeiro beijo ao amigo imaginário. A cena do casalzinho jovem deitado no asfalto sobre o contorno de seus corpos marcados com giz, sugerindo uma cena de crime é instantaneamente memorável assim como Ferris dançando Twist and shout na parada de rua está para Curtindo a vida adoidado. O tema mórbido não será empecilho para as crianças, pois é tratado com doçura. O casal formado pela paciente com câncer de Mia Wasikowska e pelo menino com atração por enterros de Henry Hopper é um mimo. A trilha sonora é gostosa e o figurino é coisa fina de brechó. Em alguns momentos se ri, em outros os olhos marejam. Mais uns 3 ou 4 anos já vai estar passando depois do Vale a Pena Ver de Novo, pode esperar.